Chegou a hora de inserir o podcast na sua aula!

Os arquivos em áudio podem ser produzidos como parte das atividades dos alunos, que vão desenvolver sua criatividade, oralidade e trabalho colaborativo.

As redes sociais (RECUERO, 2009) e os recursos digitais que compõem o ciberespaço (MALINI, F.; ANTOUN, H., 2013) ganham cada vez mais lugar em nosso cotidiano. É custoso observar nossas vidas desassociadas do meio digital. O que fora iniciado a partir de um processo de convergência vai além da mudança tecnológica, alterando a relação entre tecnologias existentes, indústrias, mercados, gêneros e públicos (JENKINS, 2009, p.43). Não só as mídias mudaram, mas também a forma com que a consumimos. Pode-se perceber essas mudanças em diversas instâncias da nossa sociedade: no comércio, com aplicativos de compra; nas relações interpessoais, com as redes sociais digitais; na educação, com a incorporação de computadores, projetores e outros programas educacionais na internet.

Entretanto, ainda existe uma grande relutância em aceitar esses recursos nos ambientes educacionais escolares, principalmente na educação básica. A ideia de que as novas mídias viriam para substituir as antigas, presente na revolução digital (JENKINS, 2009, p.33), ainda permeia os ambientes tradicionais, que as encaram como imiscíveis. No entanto, esse distanciamento não acontece somente pelo fato das novas mídias ainda serem associadas a algo distrativo dentro das salas de aula, mas também pelo estranhamento que causam em quem não tem um contato próximo a elas. O governo brasileiro tem projetos que visam à inserção da tecnologia no ensino básico, demonstrando uma tentativa de inclusão digital como, por exemplo, o Programa Nacional de Formação Continuada em Tecnologia Educacional (ProInfo), que, de acordo com a descrição disponibilizada em seu site, é um programa de formação que tem como objetivo didático-pedagógico o uso das tecnologias no cotidiano escolar a partir de equipamentos, recursos digitais e multimídia. O programa nasceu em 1997 e, através dele, professores começaram a experimentar o uso de lousas digitais nas salas de aula; porém, nessas e outras iniciativas do projeto se evidenciou a falta de conhecimento e preparação necessária dos educadores para operar e utilizar as tecnologias oferecidas. Apesar de terem se passado mais de 20 anos desde o início do projeto, ainda é um desafio falar em capacitação do professor.

Além do mais, algo que deve ser levado em conta é o cotidiano dos educadores. Foi possível perceber, no desenvolvimento do projeto Metacast, por meio do contato com alunos de graduação de pedagogia e artes visuais, bem como através do diálogo com professores, a rotina exaustiva dos educadores de escolas públicas. Esses precisam conciliar as atividades escolares e horários de aula, planejamento de diferentes matérias – de 2 ou mais classes – com vida pessoal e cursos que lhes deem capacidade técnica para se inserirem no meio digital. Percebeu-se, desse modo, as dificuldades que rondam esse profissional, que vão além da falta de capacitação técnica, estendendo-se a um contexto diário e pessoal, que acaba afetando a sua atuação em sala de aula.

Diante dos fatos apresentados, o projeto MetaCast teve como objetivo geral criar um produto didático multimídia para professores de ensino fundamental e médio que os capacitasse a utilizar o podcast como uma ferramenta educacional alternativa dentro da sala de aula. Sendo ele disponibilizado com um Recurso Educacional Aberto (REA), o material é composto por: um manual, disponível em diferentes formatos (pdf, word e indd), vídeos de tutoriais disponíveis no YouTube, ensinando como editar arquivos de áudio no software aberto Audacity, e o Metacast, um podcast com episódios de discussão sobre o próprio formato. Todos os produtos foram criados a partir das exigências e dificuldades observadas em oficinas conduzidas com alunos dos cursos de licenciatura de Pedagogia e Artes Visuais da Universidade Federal de Santa Maria. As oficinas foram essenciais como etapa inicial para se criar os produtos de acordo com o que os próprios professores – nesse caso, futuros professores – achavam necessários no material, tornando viável sua utilização em sala de aula.

O caminho até a plena utilização desses aparelhos é lento, pois, além da barreira econômica que pauta o acesso às tecnologias digitais, é necessário treinamento técnico para a utilização dessas ferramentas. Levando em conta a necessidade de treinamento, acredita-se ser fundamental ensinar professores e educadores acerca dos usos dessas novas tecnologias para que possam expandir suas práticas educacionais e seu aprendizado, assim atuando como mediadores nesse processo de produção. É nesse cenário que o podcast e todos os programas de edição e captação de áudio envolvidos em sua criação aparecem como mídia proeminente e útil para a educação.

Fonte: Trabalho apresentado na DT 5 – Comunicação Multimídia do XX Congresso de Ciências da Comunicação na
Região Sul, realizado de 20 a 22 de junho de 2019

O Projeto tem Metacast foi incorporado ao Projeto Social Kickclube como parte dos trabalhos de desenvolvimento educacional e profissionalizante por meio de autorização dos seus desenvolvedores. Todas as atividades e material didáticos aplicados no projeto segue as orientações discriminadas e tem o seu objetivo auxiliar o desenvolvimento educacional dos alunos e apoiar os professores.